sábado, 31 de dezembro de 2011

Resultado dos sorteios do livro "Reencontro"


Sorteios do meu romance "Reencontro" no blog e na página do livro no Facebook, esquerda e direita respectivamente.
Blog: Merlaine Garcês
Página: Ingryd Lessa
 
Parabéns!!!
Farei mais sorteios.
 Lembrando que tem na Saraiva, na Siciliano e na Martins Fontes Paulista.
Também tem direto do site da editora: www.novoseculo.com.br.

PÁGINA DE "REENCONTRO" NO FACEBOOK: https://www.facebook.com/pages/Reencontro/235370883144011
 Utilizei o site www.random.org e numerei todos os concorrentes. Entrarei em contato.
  FELIZ ANO NOVO!!!

segunda-feira, 26 de dezembro de 2011




         Tempestade     


As folhas cansadas dançam o Quebra-Nozes na calçada;
o vento bravo corta a rua
- tal espada em pedra nua.

Grita todo o céu!
Mas não há mar.

Se houvesse mar, haveria sal...

E há apenas silêncio.

Poucos captam o silêncio...

Estes trovões bradando
- apenas silêncio.
Estes escuros duros
- apenas silêncio.
Estas águas velhas de gotas de espelho
- apenas silêncio, e rachaduras.

Capta o silêncio no incêndio da tempestade
- e não me apagues...


Leila Krüger. 2011.

Obs.: Quero avisar que meu romance "Reencontro" já está disponível outra vez na Livraria Saraiva e na Siciliano em promoção por 31,90!!! Aproveitem!!!

Boa semana!!!











sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

E Então é Natal.


Todo ano eu escuto “E Então É Natal”, ou “Merry Xmas” no original (que, como quase todos os originais, me parecem melhores) do John Lennon.
Todo ano eu fico pensando “o que eu fiz?”, já que “o ano termina e nasce outra vez”. Todo ano eu olho o céu de fim de ano – pinheirinho de lua e estrelas – e tenho um desejo triste do passado.
Todo ano voltam, descendo degraus brilhantes de céu de Natal ululante, os que se foram e nunca se vão; os que não virão. Os que apenas habitam o céu, como habito minha morada em uma sacada que não me retém.
Todo ano eu queria poder ir além...
Todo ano eu queria um ano novo inteiro pra mim. Que não me deixasse mais velha, nem menos eu. Todo ano eu queria que o tempo parasse no fim do ano, e parecesse meu. E eu poderia sentar em uma estrela e respirar tréguas. Esperar o impossível, duvidar do que visse, alcançar o que pensasse.
Mas novamente eu perdi. Ganhei o nascimento de Cristo, que veio ao mundo salvar os homens. E tenho em mim uma esperança tão linda que dói, e a dor é do medo. Poderíamos apenas dar as mãos, e não acreditar em sonhos raros que se despedem.
E então é Natal... eu não fiz o que queria e o meu ano termina. Ah, eu termino um pouco também – e renasço outra vez!
Eu tenho compaixão das crianças que sonham no Natal, e seus sonhos talvez não se realizem embora elas tenham fé. Tenho compaixão dos Papai-Noéis que não existem, de tudo o que não existe e possa ter existido. Tenho compaixão da nossa sensibilidade, que nos faz pura saudade. Tenho compaixão das estrelas, que sussurram o que não ouvimos...
Cristo nasceu. Há um ano novo pra nós, e estrelas que não conhecemos.
“Que seja feliz quem souber o que é bem...”
Ah, eu não sei!
Sei apenas estrelas pequenas que sonham. Estrelas de Natal...
Um dia vou ser estrela e saber segredos. Sentir o mar do céu, pisar  areia de estrelas, ser...
FELIZ NATAL!!!
Às vezes, perde-se uma estrela para ganhar uma constelação.
Faça um pedido impossível e o guarde na mão!
Jogue as mãos aos céus...


quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

Por Eu Não Acreditar Nas Rosas...

             

             Minhas rosas estão brancas, envelhecidas de amor.
Resfolegando em minhas mãos um tanto trêmulas,
um tanto tuas,
conhecedoras das sementes do mal
com que plantaram teus olhos negros.

                Quero-te dá-las, minhas caras rosas d’água,
                para se desaguarem em ti
                sem medo de mar.

                Vês?
                Eu ondulo em teu cais...

                E então
poderá meu coração outra vez cantar?
                Poderás me encantar?

                Toma agora minhas rosas brancas de amor,
na branca chuva da saudade
                que na verdade
                tu não deixaste pra sempre.

                Embora eu saiba que nunca mais...


          
               Leila Krüger. 2011.


              Obs.: Não deixem de visitar o hot site do meu romance "Reencontro", pela Editora Novo Século, e ler o primeiro capítulo! 

        Às vezes, é necessário perder quase tudo para reencontrar... e finalmente poder amar.
        
        Curtam a página de "Reencontro" no Facebook que logo haverá mais um sorteio de um exemplar entre quem curte, divulgem!!!

        Logo haverá mais um sorteio de "Reencontro" entre quem segue o blog também!!!

        Boa semana!!!
       




domingo, 27 de novembro de 2011

Leões



Você só tem um coração; não o entregue a quem não saberá carregá-lo com ternura. Não o entregue aos leões, para que o dilacerem a dentadas selvagens que ficam marcadas por muito tempo. Às vezes para sempre. Não se entregue a quem não te devolve. Não se negue...

Você só tem um coração, e ele está só dentro de você; não o perca de vista... É necessário alcançá-lo entre o êxtase e a razão, em pontos de equilíbrio raros e fundos. Mas coração é pena, um ventinho de amor o leva às estrelas...

                Você só tem um coração, segure-o firme na sua mão. Diga-lhe que é seu – embora ele não vá escutar. Mime-o, converse com ele sobre os novos verões que poderão mudar tudo. Ensine a ele poesia, quem sabe Vinícius de Moraes e um pouco de Clarice Lispector. E também a música, já que ela tem a capacidade inacreditável de compreender o invisível.

                Você só tem um coração, não o esqueça por nada neste mundo. Não o venda, não o hipoteque, não o empreste e muito menos o dê – a não ser que receba outro coração em troca, um que você queira. Não o dê assim para qualquer um, um embrulho estranho sem destino certo. E o mais importante: dê! Um dia...

                Preserve-se. Não demais, não de menos. Você só tem um coração e nele cabe o amor. Ainda que transborde. Ainda que amoleça, endureça e depois transforme. Amor é matéria de mistério, coração é matéria de infinito. Sem mais explicações!

Mas sabemos que todos estes milhares de fórmulas sobre o coração já se provaram falhos... Apenas então tente salvá-lo. Descubra sua própria salvação, guarde-a com sua chave e com seu nome ainda que esse nome não seja “amor”. Embora vá provavelmente ser, sem talvez você saber.

Leila Krüger. 2011.


Obs.: Hot site do meu romance "Reencontro", pela Editora Novo Século, com primeiro capítulo, opinem:

Uma ótima semana!

sábado, 26 de novembro de 2011

Publicações 2011

Gente, este ano tive algumas publicações em antologias (não sei se estão todas aqui, vou ter que averiguar) e lancei meu primeiro romance, "Reencontro":

 1 - Romance "Reencontro" - Editora Novo Século

Com muita felicidade lancei ontem - 25/11 meu primeiro romance, "Reencontro", pelo selo Novos Talentos da Literatura Brasileira da Editora Novo Século. Quando passar as fotos para o computador, compartilharei uma(s) imagem(ns) do evento. Uma história de amor, fé, superação e reencontros, e de acreditar em improváveis e até em impossíveis. Um pouco da história de cada um que busca a felicidade neste mundo tão complicado! 



Veja a sinopse, o primeiro capítulo ou compre no hot site:

Também disponível para comprar nos seguintes sites (dentre outros):
Livraria Saraiva: valor 31,90

Siciliano: valor 31,90


 2 - Coletânea "Amanhã, Outro dia" - Edições AG


Conto "A Beleza da Vida" e poemas "O Silêncio" e "Como Saber" selecionados no XXXIII Concurso Literário Internacional, pela Edições AG, nas categorias Poesia e Conto.

3 - Antologia "Tempo de Tudo - Contos" - CBJE


Antologia "Tempo de Tudo - Contos" da Câmara Brasileira de Jovens Escritores, com o conto "Sempre Outra Vez".

4 - "Antologia de Poetas Brasileiros Contemporâneos Volume 83" - CBJE


Poema "Longe". Podes lê-lo aqui.


Na próxima postagem colocarei um poema novo, que fiz faz poucos dias.

Bom findi a todo mundo!
Não desista de seus sonhos, seu coração não desistirá de você!


quinta-feira, 24 de novembro de 2011

LANÇAMENTO DE "REENCONTRO" DIA 25/11 SEXTA-FEIRA!!!



"A VIDA É A ARTE DO ENCONTRO E DO REENCONTRO"

Gostaria de agradecer de coração a todos os que me apoiaram e continuam apoiando, me cobrindo de força e inspiração nesta época tão importante da minha vida que é o lançamento do meu romance "REENCONTRO", pela Editora Novo Século - SP. Cada comentário e incentivo é muito importante! Foi um árduo caminho dos primeiros escritos até a última revisão. E foi uma bênção para mim escrevê-lo, espero que seja para vocês ao lerem!

HOT SITE DE "REENCONTRO" COM PRIMEIRO CAPÍTULO: www.leilakruger.com.br

Amanhã é o grande dia! Coquetel de lançamento do meu romance "Reencontro" na megastore da Saraiva no Barra Shopping Sul em Porto Alegre - Av. Diário de Notícias, 300.


O evento ocorre a partir das 19:30h até 22h, ESTÃO TODOS CONVIDADOS!!!
O valor para adquirir o livro na hora é 39,90.






SINOPSE DO LIVRO:


"Está bem no fundo. Não se pode alcançar... aos poucos, vai roubando o ar.” Ana Luiza vai perdendo seu fôlego: o fim de (mais) um grande amor, um pai distante, uma mãe fútil, uma amizade complexa e "pessoas que sempre vão embora". Com suas músicas de rock, seus livros e seus cigarros, Ana Luiza vê sua vida desmoronar.

"O amor é uma ferida”, ela sentencia. Mas a “garota de olhar longínquo” tem um encontro inesperado com um alguém aparentemente muito diferente dela: os “olhos imensos”, que tudo veem... Presa em seu próprio mundo e rendida ao álcool e às drogas, Ana Luiza tenta fugir. Principalmente do temido amor, que tanto a feriu... 

Como encontrar, ou reencontrar o próprio destino?

Até onde o amor pode ir, até quando pode esperar? O que há além das baladas de rock e dos poemas românticos? Poderá o amor salvar alguém de sua própria escuridão?

Às vezes, é necessário perder quase tudo para reencontrar... e finalmente poder amar.



Vou postar mais meus poemas aqui em seguida, aguardem! Obs.: Ando um pouco sem tempo, depois visito e comento os blogs.

Parcerias com blogs, só a partir da semana que vem, entrem em contato que poderemos conversar!


Beijos pra todo mundo!

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Antes que seja tarde...




"A lua era cheia. Ana Luiza adorava a lua cheia. O olho do céu bem aberto. Olho de prata que via tudo. Sem perceber, ela descansou sua cabeça no ombro dele, vidrada no olho do céu. Daquele olho ela não tinha medo. Não era como os olhos das pessoas.
- Acho que nada dá certo pra mim... - balbuciou.
- Sabes por que não?
Ela o inquiriu com o ollhar.
- Porque há um tempo certo pra tudo. Há um tempo certo pra cada propósito debaixo do céu - ele declarou.
- E quando vai ser o tempo certo... pra tudo dar certo?
- Ah... só Deus é que sabe...
- Deus... - ela ironizou. - Acho que o cronômetro d´Ele não funciona direito...
Mas ele não parecera dar importância à declaração cáustica dela:
- Há tempo de lutar, e tempo de viver em paz. Acho que, agora, é tempo de lutar.
Ela ponderou, por instantes:
- Tudo sempre termina... Fico me perguntando se esse tempo um dia vai terminar também. Antes que seja tarde... "



(Trecho de "Reencontro", de Leila Krüger. Editora Novo Século. 2011.)


Ler primeiro capítulo: http://www.leilakruger.com.br/


Em promoção na Saraiva pela internet: http://www.livrariasaraiva.com.br/produto/3693569/reencontro-col-novos-talentos-da-literatura-brasileira/?ID=C92937277DB0B131424010982


Boa semana!
E mais uma vez parabéns às sorteadas Verinha e Eve Lisi, que já entraram em contato pra eu enviar os livros!

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Resultados dos sorteios de livros "Reencontro"

Em primeiro lugar peço perdão às mensagens não respondidas do blog, andei viajando a semana toda (como na semana passada) e logo que tiver mais tempo vou responder e seguir.

Como prometido, hoje, dia 18/11 sorteei um livro "Reencontro" autografado entre os seguidores do blog e outro entre quem curtiu a página do livro no Facebook.

Vou entrar em contato com as vencedoras (duas pessoas do sexo feminino) em breve para acertarmos o envio. CASO A PESSOA NÃO RESPONDA ATÉ TERÇA-FEIRA DIA 22/11, NESSE MESMO DIA FAREI OUTRO SORTEIO.

No sorteio entre os seguidores do blog ganhou o número 57 - Verinha. Parabéns!
Obs.: só apareceram 216 fotos de pessoas entre os seguidores, excluindo eu mesma que sigo meu blog e duas pessoas não identificadas com quem não teria como entrar em contato.


No sorteio entre quem curte a página do Facebook ganhou o número 61 - Eve Lisi. Parabéns!

Por enquanto são esses sorteios. Poderei vir a sortear mais.



Aviso que o livro "Reencontro" está em promoção no site da Livraria Saraiva, quase 10 reais mais barato pela Internet!
Compre aqui: http://www.livrariasaraiva.com.br/produto/3693569/reencontro-col-novos-talentos-da-literatura-brasileira/?ID=BD1BE9AB7DB0B121434140250

Aviso também que no hot site do livro é possível ler o primeiro capítulo:
http://www.leilakruger.com.br

Coquetel de lançamento dia 25/11 na Megastore da Saraiva do Barra Shopping Sul - Porto Alegre, a partir das 19:30h.






Bom final de semana!

terça-feira, 15 de novembro de 2011

Sorteios de livros "Reencontro" autografados!



 Vou sortear 1 exemplar autografado do meu romance "Reencontro" sexta dia 18/11 entre os seguidores do blog e outro exemplar entre quem curtir a página do livro "Reencontro" no Facebook. Há duas páginas de livro "Reencontro", mas só uma é minha e só essa que conta, a que tem a capa do livro na foto: https://www.facebook.com/pages/Reencontro/235370883144011 Só quem curtir concorre! E só se for essa página.

Colocarei os resultados no blog e na página do Facebook.

 O sistema utilizado vai ser o site http://www.random.org/. Vou numerar os seguidores do blog e pessoas que curtem a página de "Reencontro" no Facebook e sortear os números (um para a página e outro para o blog). Postarei o print com os números e as pessoas sorteados. Depois entro em contato para acertar o envio do livro.

 Lembrando que o lançamento é dia 25/11!

 PROMOÇÃO DE LANÇAMENTO DE "REENCONTRO" NA LIVRARIA SARAIVA PELA INTERNET: 31,90!
 http://www.livrariasaraiva.com.br/produto/3693569/reencontro-col-novos-talentos-da-literatura-brasileira/?ID=C942CDB37DB0B0F0E131E0794

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Reencontro - Lançamento


Pessoal, estou lançando meu romance "Reencontro", pela Editora Novo Século - SP, selo "Novos Talentos da Literatura Brasileira".

 SORTEAREI 1 EXEMPLAR AUTOGRAFADO DO LIVRO ENTRE OS SEGUIDORES (ENVIO PELO CORREIO) NA PRÓXIMA SEMANA. MAIS DETALHES NO PRÓXIMO POST. PODEREI SORTEAR MAIS LIVROS.

 HOT SITE DO LIVRO: http://www.leilakruger.com.br/

 LANÇAMENTO:
 25 de novembro de 2011
 À partir das 19:30h
 Livraria Saraiva do Barra Shopping Sul - Porto Alegre - RS
 Haverá autógrafos e coquetel.



 SINOPSE:

 "Está bem no fundo. Não se pode alcançar... aos poucos, vai roubando o ar.” Ana Luiza vai perdendo seu fôlego: o fim de (mais) um grande amor, um pai distante, uma mãe fútil, uma amizade complexa e "pessoas que sempre vão embora". Com suas músicas de rock, seus livros e seus cigarros, Ana Luiza vê sua vida desmoronar.

"O amor é uma ferida”, ela sentencia. Mas a “garota de olhar longínquo” tem um encontro inesperado com um alguém aparentemente muito diferente dela: os “olhos imensos”, que tudo veem... Presa em seu próprio mundo e rendida ao álcool e às drogas, Ana Luiza tenta fugir. Principalmente do temido amor, que tanto a feriu...

Como encontrar, ou reencontrar o próprio destino?

Até onde o amor pode ir, até quando pode esperar? O que há além das baladas de rock e dos poemas românticos? Poderá o amor salvar alguém de sua própria escuridão?

Às vezes, é necessário perder quase tudo para reencontrar... e finalmente poder amar.



O livro já está à venda:





quarta-feira, 9 de novembro de 2011

A Queda da Bastilha



Enfim perdi a batalha surda contra a própria mudez.
Enfim a inoperância de meus punhos
para esmurrar estes labirintos de ferro,
para desnudar o universo.

Enfim, voltei... enfim não sei mais!

Enfim me recolho com meus únicos próprios braços,
esperando, no entanto, que haja ainda alguma bondade
nestes pequenos fardos.

Enfim acato a tristeza como uma rosa frágil que é minha...

Enfim não espero nada,
mas acredito em tudo aquilo que não é passível de ser verdade.
Como sei agora,
posso embalar a verdade em meu colo
até que ela acorde, e me olhe.
Caso ela não fuja eu um dia a verei crescer...

Como os carvalhos antigos que arrebentavam o céu,
assim cresce a verdade em meu pequeno bosque.
Copas silenciosas, em nuvens vagarosas, em tardes apenas grenás.

Enfim, perdi...
mas chorei como quem vence. Então venci!



Leila Krüger.

quarta-feira, 2 de novembro de 2011

Pesadelos

Dia de Finados. E eu acordei vazia...




Vem me dar um último abraço, vem roubar o ermo que me deixaste no horizonte. E esse mundo de saudades irreconciliáveis, de tua saudade que se fez pra sempre canção longínqua ao entardecer.

Pega na minha mão, me leva doce a um lugar onde a ausência não ri. Onde há uma flor valente por entre as sombras do jardim.

Vem afagar meus braços cansados, eu cansei de mim...

Vem... bota minha solidão para dormir... que a acordaste em meu colo, com pesadelos de fim.

Falta-me teu rosto há tanto tempo na primavera...



Leila Krûger.

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Um Ausente

 Hoje faz 109 anos que o mundo teve a honra de ser habitado por um dos maiores gênios da literatura mundial. CARLOS DRUMMOND DE ANDRADE, mandado por um anjo torto ser gauche na vida. Para homenageá-lo, escrevi um poema com várias referências aos escritos dele. Ele, "UM AUSENTE".



Carlos olha

e do Céu escreve.

Fazendo apontamentos sobre o

mundo vasto mundo

que enganou Raimundo.

Foi Carlos ser gauche no Céu.

E no meio do caminho havia uma pedra

havia uma pedra

até suas nuvens de papel.


Bebe um conhaque

Carlos Drummond de Andrade

com seu anjo torto do amor

(“Por que amar, se vamos morrer?”)

há cento e nove anos.

Mirando a lua aqui embaixo

e se põe comovido como o diabo.


“Hoje somos mais vivos do que nunca”,

diz Carlos ao dizer

de sua janela sobre o mar:

“As coisas lindas

muito mais que findas

essas ficarão.”

Mas a vida é pétrea

e ninguém responde...




Leila Krüger.

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

A Última Lágrima


Recolhe meus braços com teus olhos, guarda meus pés em tuas mãos. Leva-me embora para teu dorso, dá-me teu tronco e teremos o alvorecer.

Iça meu oco por tua presença, me faz presença em teu arder. Arde meus passos em teu andar. Entrega-me pernas para voar - sobre o que eu quiser.

Recolhe minha quase alegria em teu leve descanso, volta e me faz nova. Já que eu sou velha, louca, de puros músculos resistindo a tua espera.

Não me faças chorar, meu amor, por favor não me faças. Que quando choro eu às vezes não volto... que se eu não volto não sei mais chorar. E tu és lágrima...



 Leila Krüger.

terça-feira, 25 de outubro de 2011

Fim de Linha





Pisem os trilhos de meu ventre
por favor
trens que viajam sobre gente

trens dementes

sigam até o pescoço
trens valentes
descarrilem em meu dorso

sempre em frente!

Trens de osso
trens de aço
trens
         que
              bra
                   dos





Leila Krüger.

terça-feira, 18 de outubro de 2011

Quase Verão




Há uma chuva negra e macia na vidraça. Quase cinza, um tanto fraca... me acaricia.

Pingos me olham – esperando o chão cegar. Chegar. E o desespero do que chove no mesmo lugar. E a nuvem que se move... sobre as palavras... que eu não te dei.

Negra na janela, esperando o chão.

Sou eu quem chove – antes do verão...

Sou eu quem grita! – ao perder teu rosto de areia, entre minhas mãos...



Leila Krüger

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Retorno de Mim



Aprendi a me deixar podar pela vida.

Deixar que me arranquem os galhos, tal braços, sem dó,
                                       ou com dó, tanto faz...
mas que me arranquem inevitavelmente
                                       e façam de mim o que eu nem sei.

E se eu não souber tudo bem, porque aprendi também a voltar...
mais alta e mais graúda,
do tamanho de um coqueiro na praia deserta.

Também aprendi a me balançar na praia e até a tocar as ondas.
Tudo me deixa forte. Tudo um dia me deixará forte.

E nada me deixará, nunca mais, seca... agora eu posso amar.



Leila Krüger.

terça-feira, 11 de outubro de 2011

Longe




Mas se eu tiver que ser sozinha, serei inteira
serei plácida, como o lago que espera a chuva
como a chuva que busca a manhã.

E se eu tiver que ser escura, serei grandiloquente
se tácita, valente
se árida, compreensiva, ao menos
se ainda assim severa... então liberta.

E se me perder de tudo, e até do fim...
possivelmente eu serei nova
como o verão, no céu de janeiro
como janeiro, no céu de Paris!
Seja lá onde for Paris...          

Hoje, em qualquer lugar, longe daqui. Longe, longe...



Leila Krüger.