terça-feira, 25 de outubro de 2011

Fim de Linha





Pisem os trilhos de meu ventre
por favor
trens que viajam sobre gente

trens dementes

sigam até o pescoço
trens valentes
descarrilem em meu dorso

sempre em frente!

Trens de osso
trens de aço
trens
         que
              bra
                   dos





Leila Krüger.

6 comentários:

  1. Pra quem curte poesia, você e seu blog são preciosos presentes. Que sorte a minha.

    Perfeito, adorei!

    Abraço

    ResponderExcluir
  2. Caminhar pelos trilhos
    do ventre,
    uma viagem sem estação.

    ResponderExcluir
  3. 1° visita no blog! Adorei....
    Seguindo))))))

    ResponderExcluir