segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Um Ausente

 Hoje faz 109 anos que o mundo teve a honra de ser habitado por um dos maiores gênios da literatura mundial. CARLOS DRUMMOND DE ANDRADE, mandado por um anjo torto ser gauche na vida. Para homenageá-lo, escrevi um poema com várias referências aos escritos dele. Ele, "UM AUSENTE".



Carlos olha

e do Céu escreve.

Fazendo apontamentos sobre o

mundo vasto mundo

que enganou Raimundo.

Foi Carlos ser gauche no Céu.

E no meio do caminho havia uma pedra

havia uma pedra

até suas nuvens de papel.


Bebe um conhaque

Carlos Drummond de Andrade

com seu anjo torto do amor

(“Por que amar, se vamos morrer?”)

há cento e nove anos.

Mirando a lua aqui embaixo

e se põe comovido como o diabo.


“Hoje somos mais vivos do que nunca”,

diz Carlos ao dizer

de sua janela sobre o mar:

“As coisas lindas

muito mais que findas

essas ficarão.”

Mas a vida é pétrea

e ninguém responde...




Leila Krüger.

14 comentários:

  1. Que linda a sua forma de homenagear esse nosso grande poeta!.. Maravilhoso!

    Beijo grande em seu coração...
    Verinha

    ResponderExcluir
  2. Não podemos nos esquecer dos grandes homens. E seus feitos heroicos. Eterno Drummond!

    ResponderExcluir
  3. Belíssima homenagem Leila! Hoje a tarde assisti a um programa especial para ele ( Sem Censura Tv Brasil) e estão organizando em Curitiba uma mega exposição ano que vem em comemoração aos 110 anos. Acho muito legal terem criado o dia D, incentiva a nossa poesia. Adorei ler um ausente.
    Beijo

    sentirempalavras.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Com certeza...foi um dos escritores com maior referencia histórica e uma das obras mais bonitas de se ler.obrigada pela visita,seguindo tbm

    ResponderExcluir
  5. Oi Leila!

    Obrigado pela visita ao amordepapelão e pelas boas palavras que deixou lá!

    Um beijinho e parabéns pelo seu espaço! Escrever é bom demais, ler quem escreve bem é quase tão bom quanto... rss

    Beijinhos.

    Ivan

    ResponderExcluir
  6. Muito bom,

    Li por aí que
    Um homem se torna imortal não só pelas coisas que diz, mas especialmente se faz o que diz.

    Ta aí um exemplo.

    Beijos

    ResponderExcluir
  7. São dessas ausências
    que alimento minha poesia.

    ResponderExcluir
  8. Mestre eterno.

    Seja bem-vinda ao meu blog, Leila, também vou puxar um banquinho e ficar por aqui.

    Um beijo.

    ResponderExcluir
  9. Lindo texto!

    Obrigada pelo carinho em meu blog, já estou te seguindo tbm...

    bjs

    ResponderExcluir
  10. Leila linda homenagem ao drummond continue escrevendo e agradecendo a Deus por ter recebido essa graça.
    obrigada pelo comentário no nosso grupo ASDl.
    Com carinho bjs.

    ResponderExcluir
  11. Linda homenagem ao Drummond! Lindo, lindo texto. Jus, ao feriado de lembranças latentes.

    Um doce novembro e muita paz!
    Meu carinho por vocÊ *.*

    ResponderExcluir
  12. Estou seguindo. Tenho andado bastante ocupado com o final do curso de Pedagogia. Assim que apresentar meu TCC, farei um comentário decente sobre o teu trabalho no blog.

    Abração.

    ResponderExcluir
  13. Linda homenagem, Leila. Amei o poema!

    Bjo :)

    ResponderExcluir