sábado, 31 de dezembro de 2011

Resultado dos sorteios do livro "Reencontro"


Sorteios do meu romance "Reencontro" no blog e na página do livro no Facebook, esquerda e direita respectivamente.
Blog: Merlaine Garcês
Página: Ingryd Lessa
 
Parabéns!!!
Farei mais sorteios.
 Lembrando que tem na Saraiva, na Siciliano e na Martins Fontes Paulista.
Também tem direto do site da editora: www.novoseculo.com.br.

PÁGINA DE "REENCONTRO" NO FACEBOOK: https://www.facebook.com/pages/Reencontro/235370883144011
 Utilizei o site www.random.org e numerei todos os concorrentes. Entrarei em contato.
  FELIZ ANO NOVO!!!

segunda-feira, 26 de dezembro de 2011




         Tempestade     


As folhas cansadas dançam o Quebra-Nozes na calçada;
o vento bravo corta a rua
- tal espada em pedra nua.

Grita todo o céu!
Mas não há mar.

Se houvesse mar, haveria sal...

E há apenas silêncio.

Poucos captam o silêncio...

Estes trovões bradando
- apenas silêncio.
Estes escuros duros
- apenas silêncio.
Estas águas velhas de gotas de espelho
- apenas silêncio, e rachaduras.

Capta o silêncio no incêndio da tempestade
- e não me apagues...


Leila Krüger. 2011.

Obs.: Quero avisar que meu romance "Reencontro" já está disponível outra vez na Livraria Saraiva e na Siciliano em promoção por 31,90!!! Aproveitem!!!

Boa semana!!!











sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

E Então é Natal.


Todo ano eu escuto “E Então É Natal”, ou “Merry Xmas” no original (que, como quase todos os originais, me parecem melhores) do John Lennon.
Todo ano eu fico pensando “o que eu fiz?”, já que “o ano termina e nasce outra vez”. Todo ano eu olho o céu de fim de ano – pinheirinho de lua e estrelas – e tenho um desejo triste do passado.
Todo ano voltam, descendo degraus brilhantes de céu de Natal ululante, os que se foram e nunca se vão; os que não virão. Os que apenas habitam o céu, como habito minha morada em uma sacada que não me retém.
Todo ano eu queria poder ir além...
Todo ano eu queria um ano novo inteiro pra mim. Que não me deixasse mais velha, nem menos eu. Todo ano eu queria que o tempo parasse no fim do ano, e parecesse meu. E eu poderia sentar em uma estrela e respirar tréguas. Esperar o impossível, duvidar do que visse, alcançar o que pensasse.
Mas novamente eu perdi. Ganhei o nascimento de Cristo, que veio ao mundo salvar os homens. E tenho em mim uma esperança tão linda que dói, e a dor é do medo. Poderíamos apenas dar as mãos, e não acreditar em sonhos raros que se despedem.
E então é Natal... eu não fiz o que queria e o meu ano termina. Ah, eu termino um pouco também – e renasço outra vez!
Eu tenho compaixão das crianças que sonham no Natal, e seus sonhos talvez não se realizem embora elas tenham fé. Tenho compaixão dos Papai-Noéis que não existem, de tudo o que não existe e possa ter existido. Tenho compaixão da nossa sensibilidade, que nos faz pura saudade. Tenho compaixão das estrelas, que sussurram o que não ouvimos...
Cristo nasceu. Há um ano novo pra nós, e estrelas que não conhecemos.
“Que seja feliz quem souber o que é bem...”
Ah, eu não sei!
Sei apenas estrelas pequenas que sonham. Estrelas de Natal...
Um dia vou ser estrela e saber segredos. Sentir o mar do céu, pisar  areia de estrelas, ser...
FELIZ NATAL!!!
Às vezes, perde-se uma estrela para ganhar uma constelação.
Faça um pedido impossível e o guarde na mão!
Jogue as mãos aos céus...


quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

Por Eu Não Acreditar Nas Rosas...

             

             Minhas rosas estão brancas, envelhecidas de amor.
Resfolegando em minhas mãos um tanto trêmulas,
um tanto tuas,
conhecedoras das sementes do mal
com que plantaram teus olhos negros.

                Quero-te dá-las, minhas caras rosas d’água,
                para se desaguarem em ti
                sem medo de mar.

                Vês?
                Eu ondulo em teu cais...

                E então
poderá meu coração outra vez cantar?
                Poderás me encantar?

                Toma agora minhas rosas brancas de amor,
na branca chuva da saudade
                que na verdade
                tu não deixaste pra sempre.

                Embora eu saiba que nunca mais...


          
               Leila Krüger. 2011.


              Obs.: Não deixem de visitar o hot site do meu romance "Reencontro", pela Editora Novo Século, e ler o primeiro capítulo! 

        Às vezes, é necessário perder quase tudo para reencontrar... e finalmente poder amar.
        
        Curtam a página de "Reencontro" no Facebook que logo haverá mais um sorteio de um exemplar entre quem curte, divulgem!!!

        Logo haverá mais um sorteio de "Reencontro" entre quem segue o blog também!!!

        Boa semana!!!