segunda-feira, 22 de outubro de 2012

Lançamento do meu livro "A Queda da Bastilha" e de "Memória Líquida" de Majela Colares

 Pessoal, sei que ando sumida do blog! Peço desculpas. Vocês podem se atualizar melhor sobre mim e meus escritos na minha página no Facebook ou no meu Twitter.

 Hoje venho convidar oficialmente vocês para o lançamento do meu livro de poemas e textos "A Queda da Bastilha", pela editora Confraria do Vento - Rio. Também lançará o livro "Memória Líquida" comigo na ocasião o consagrado poeta Majela Colares, mais de 10 livros publicados, e os autores Maria Helena Bernardes - consagrada artista plástica e escritora - e Flávia Baldisserotto, Victor Paes e André Severo.

 COMPAREÇAM DIA 2 DE NOVEMBRO A PARTIR DAS 20H NO ESTANDE DA LIVRARIA TERCEIRO MUNDO NA FEIRA DO LIVRO DE PORTO ALEGRE - RS E VENHAM PRESTIGIAR!!!

 Amei a capa do livro, acho que traduziu bem a atmosfera que eu quis passar através dele.

 Fiz um convitinho, não ficou uma maravilha, mas vale o que tá escrito hehe!
 Quem mora em Porto Alegre não deixe de vir!!! Obrigada a quem sempre me dá força!!!
 Beijos!

sexta-feira, 28 de setembro de 2012

Perdão



Por não saber ser outra,
que sabe amar
e dizer as coisas que devem existir
nas puras cores dos nossos jardins.

Aquela outra,
aquela outra!
A que doma o grito
e não mente e finge
apenas para si mesma
que é outra...

Aquela outra – que recolhe as flores
e não as deixa morrer
Aquela outra – que sabe viver...

Aquela outra que por um instante fui eu.
E que a qualquer instante pode ser
para sempre, nós...

Leila Krüger.





Não se esqueçam, dia 2 de novembro na Feira do Livro de Porto Alegre-RS, a partir das 20h no estande da Livraria Terceiro Mundo, eu, Majela Colares, Victor Paes e Flávia Baldisserotto e Maria Helena Bernardes lançaremos livros, e eu lançarei "A Queda da Bastilha".



sexta-feira, 7 de setembro de 2012

Lançamento do meu livro A QUEDA DA BASTILHA e crítica de minha obra por Majela Colares



Bom dia gente!!!

 Em primeiro lugar, desculpem a ausência... Ando com pouco tempo pra postar.

 Em segundo lugar, hoje tem 

                                                     NOVIDADE!!!

 Vou lançar dia 2 de novembro, a partir das 20h, no estande da livraria Terceiro Mundo na Feira do Livro de Porto Alegre - RS meu livro de poemas A QUEDA DA BASTILHA, pela editora Confraria do Vento - Rio. Além do meu livro, serão lançados os livros MEMÓRIA LÍQUIDA - Majela Colares, DEUS EX MACHINA - Victor Paes, A ESTRADA QUE NÃO SABE DE NADA - Ana Flávia Baldisserotto e Maria Helena Bernardes e DERIVA DE SENTIDOS. 

Estão todos convidados!!! São 40 poemas e prosas poéticas escritos por mim durante um longo período. O livro conta com orelha do poeta e contista Majela Colares e prefácio do artista plástico e escritor Roberto Schmitt-Prym. 

Conheçam mais da minha obra poética no Jornal de Poesia e na minha página no Facebook.


 Posto aqui a crítica literária que o poeta e contista Majela Colares fez sobre minha obra:


 LEILA KRÜGER:
 UM LÍRIO RUMO AO SOL POENTE
Majela Colares



Esta poetisa e romancista de descendência tcheco-alemã, nascida no Noroeste do Rio Grande do Sul, na  cidade de Ijuí, chega às livrarias brasileiras e se faz presente, com muita dignidade, conduzindo em seu alforje o romance de estreia intitulado “Reencontro”,  2011, Ed. Novo Século, São Paulo, com a plena consciência  de que veio para ficar.

Trabalhando uma linguagem essencialmente moderna e um estilo de difícil confecção  – a prosa poética  –   Leila Krüger  esbanja  segurança e criatividade na elaboração de sua trama consistente e jovial. É sem dúvida o conteúdo de “Reencontro” uma sedutora leitura; uma  envolvente viagem.

Sua estreia foi no romance, mas poderia ter sido na poesia, no conto ou na novela, percebendo-se aí, com essas credencias, a imaginação criativa e imaginosa da jovem escritora dos Pampas.

Com poemas, contos e prosa-poética publicados em vários jornais, revistas (quer impressos ou virtuais), sites, blogs e antologias, Brasil afora, o talento da gaúcha de Ijuí começa a ser descoberto e a se destacar no território literário brasileiro.

O Jornal de Poesia, sob o comando do polivalente e irrequieto  poeta e escritor Soares Feitosa fora o primeiro a publicar poemas da  promissora poetisa e romancista nascida na terra de Mario Quintana e Érico Veríssimo. Expôs em suas páginas uma seleção de poemas da recém chegada Leila Krüger.

Os poemas de L.K apresentam uma linguagem visivelmente moderna, revelando à primeira vista um lirismo encantador e atraente. No entanto, ao se fazer uma leitura mais apurada, percebe-se de imediato o teor realista e reflexivo de uma poética desacomodada e questionadora, na qual os sentimentos mais inquietantes do espírito humano são tratados com delicadeza e sofisticada racionalidade.

Nos poemas de Leila Krüger, tudo é pura  inquietude proveniente da  imaginosa e burilante criatividade da poetisa e de um coração sempre em busca das ilimitações do homem.

Explorando de inúmeras formas o verso livre, a anatomia poética de L.K revela poemas embasados em uma linguagem notadamente fragmentária, no entanto vazados em versos discretamente interligados e entranhados, em suas entrelinhas, por um silêncio poético irradiante, refletido em uma metafísica que beira os limites da  vulnerabilidade e incredulidade humanas. Vejamos o poema “Longe”, como referência:

Mas se eu tiver que ser sozinha, serei inteira
serei plácida, como o lago que espera a chuva
como a chuva que busca a manhã.

E se eu tiver que ser escura, serei grandiloquente
                              se tácita, valente
se árida, compreensiva, ao menos
se ainda assim severa... então liberta.

E se me perder de tudo e até do fim...
possivelmente eu serei nova
como o verão, no céu de janeiro
como janeiro, no céu de Paris!
                            Seja lá onde for Paris...       

Hoje, em qualquer lugar, longe daqui. Longe, longe...

A seleção de textos publicada nas páginas poéticas do JP, é, sem dúvida, o embrião de seu livro de estreia na poesia, que não demorará a vir à público, com certeza, ainda no decorrer de 2012, embora sem data prevista.

                                      Majela Colares, poeta e contista.



MAJELA COLARES, poeta e contista; nasceu em Limoeiro do Norte, em julho de 1964. Lançou os seguintes livros... POESIA: Confissão de Dívida, 1993; Outono de Pedra, 1994; O Soldador de Palavras, 1997; A Linha Extrema, 1999; Confissão de Dívida e Outros Poemas, 2001; O Silêncio no Aquário / Die Stille im Aquárium, 2004, edição bilíngue português/alemão; Quadrante Lunar, 2005; As Cores do Tempo, 2007, 1ª ed – 2009, 2ª ed., e Memória Líquida, 2012. CONTOS: O Fantasma de Samoa, 2005. Reside em Recife desde 1992. Sobre sua poesia, afirma o crítico literário Fernando Py: "Majela Colares é atualmente um dos melhores nomes da poesia brasileira."

sábado, 25 de agosto de 2012

Palavras



Eu descobri que as pessoas que mais me amavam não eram aquelas que a toda hora me diziam “te amo”, como se precisassem provar alguma coisa; descobri que as pessoas que mais me amavam eram aquelas que nem sempre diziam “te amo” – ...
essas duas palavras tão gastas na couraça do tempo –, e que às vezes nem mesmo faziam declarações ou dedicavam poemas e músicas que diziam, basicamente, “te amo”. Não... não eram elas.

Eu descobri que as pessoas que mais me amavam, e que talvez realmente me amavam, eram em geral aquelas que, muitas vezes sem dizer nenhuma palavra, tudo diziam com um olhar ou uma atitude inesperada. Ou necessária. Ou pura... Aquele tipo de atitude que não pede nada em troca, porque o amor se basta em amar quem ama.

Eu olho esse mundo mergulhado em palavras e explicações como outdoors do amor, e penso em como poderia ser mais simples se as pessoas entendessem, e eu mesma entendesse que o que importa no fim é o que você fez e não o que você falou. O que você foi, e não o que você pareceu. O que você tocou... Há um lugar onde as palavras não podem chegar, e atravessando o bosque escuro da verdade você descobre que o amor é terra da coragem. E que só amam aqueles que têm a coragem de cultivá-la... No silêncio belo das mãos calejadas.
 
 

Leila Krüger. 2012.

domingo, 12 de agosto de 2012

Apenas uma Gota


 
Eu vi Deus em você.

Porque você, ao contrário das pessoas que me diziam estar muito próximas de Deus, você pegou minha mão e me entendeu sem dizer. E você mostrou lugares novos, cascatas azuis que enchiam rios de vida e de pássaros, e acariciavam o sol com inocência de criança. E eu, eu já desbotada pela vida e desencantada fui tua criança ao te abraçar em um belo dia de tempestade. E você sorriu pra mim quando eu era minha metade.

Dei a você meu rosto de pedra para que nele plantasse rosa, e você regou com beijos minha semente nua. Semente nua eu fui sua, e você me amou quando me conheceu, inteira e vazia, esperando apenas uma gota de olhar.

Apenas uma gota... eu vi Deus em você.
Leila Krüger. 2012.
DIA DOS PAIS
Hoje é dia dos pais e quero parabenizar meu pai! Apesar de tudo eu o amo. Parabéns a todos os papais que, sabendo ou não amar, colocaram seus filhos no mundo!

terça-feira, 7 de agosto de 2012

Rastro e Segredo - Majela Colares

 Divulgando o escritor e crítico Majela Colares, meu amigo, que lançou em 2012 o livro "Memória Líquida".
 Compre o livro aqui!

quinta-feira, 26 de julho de 2012

Artistas


"Você não me ama", diz você a mim.

E eu digo: "Eu te amo do meu jeito". Com um quase sorriso quase feliz.
...
Eu te amo do meu jeito. Eu te maltrato do meu jeito, eu te abandono e te resgato do meu jeito, e você não vai embora. Você disse que eu sou a cor do seu amor, e eu misturo todas as cores tentando te inventar. Quem é você? Que inutiliza minhas paletas, que debocha dos meus pincéis e faz o arco-íris parecer cinza perto de um espectro novo de vida? Quem é você, que eu amo do meu jeito sem saber quem sou? Quem é você que transforma rosas em cálices e me faz beber a dúvida, e ir sem ver? Eu só vejo você.

Você é artista, mesmo, e faz Dalí parecer previsível com seus relógios derramados. Somos dadaístas, dadaístas do amor. Somos do nosso jeito, da nossa cor e do nosso laço. Somos nós.

Mas se o amor tem uma cor, seja a cor dos teus olhos quando se fecham para me ver...
 
 
 
 
Leila Krüger. 2012.
 
 
 
Gente, que tal comprar meu romance Reencontro em promoção? Vejam aqui!!!
 
 
 
  Reencontro no Facebook, mais de 5.000 curtidas, curte aí!!!
 
  Lembrando que dá pra ler o primeiro capítulo no site:

segunda-feira, 16 de julho de 2012

Majela Colares

Pessoal, vou estar divulgando aqui às vezes o grande escritor e crítico (mais de 10 livros) Majela Colares, meu amigo. Recentemente lançou o livro de poemas "Memória Líquida", pela Confraria do Vento, Rio de Janeiro, com orelha escrita pela reconhecida escritora Ana Miranda e prefácio do renomado crítico André Seffrin (que também leu meu romance "Reencontro" e me escreveu com críticas muito positivas!)

MAJELA COLARES, poeta e contista, (Limoeiro do Norte, Ceará, julho de 1964). É graduado em Direito. Reside em Recife desde 1992, cidade onde deu inicio a sua trajetória literária. Publicou os seguintes livros: POESIA: Confissão de Dívida, 1993, Biblioteca o Curumim Sem Nome – Fortaleza; Outono de Pedra, 1994, Editora Giordano – São Paulo; O Soldador de Palavras, 1997, Ateliê Editorial – São Paulo; A Linha Extrema, 1999, Editora Calibán – Rio de Janeiro; Confissão de Dívida e Outros Poemas, 2001, Editora Calibán – Rio de Janeiro; O Silêncio no Aquário / Die Stille im Aquárium, 2004, edição bilíngüe português-alemão, tradução de Curt Meyer-Clason, Editora Calibán – Rio de Janeiro; Quadrante Lunar, 2005, Editora Calibán – Rio de Janeiro e As Cores do Tempo, 2007 1ª ed. – 2009 2ª ed.,Editora Calibán – Rio de Janeiro. CONTO: O Fantasma de Samoa, 2005, Editora Calibán – Rio de Janeiro. Tem participação em antologias publicadas no Brasil e no exterior. [2009] Em 2012 lançou o livro de poemas "Memória Líquida" pela Confraria do Vento, Rio de Janeiro.

PRISÃO DO EU

Mergulhei fundo no meu corpo estranho
pus frente a frente o olhar e o olho
e minhas barbas, quase pus de molho

ao ver de perto meu pensar tacanho

pelo orifício rude de um ferrolho
vi meus neurônios... vi meus rins e o baço
quase meu sonho foi-se pelo espaço

ao se avistarem o olhar e o olho

e cada órgão eu marquei com um traço
pra todos verem que mantive a calma...
só não marquei nesse mergulho a alma

por já trazê-la presa em meu cadarço



Em "Memória Líquida" (2012). 





Mais poemas no Jornal de Poesia:
http://www.jornaldepoesia.jor.br/maj.html

segunda-feira, 9 de julho de 2012

Melodias



 Hey...
quais as ruas certas nesse labirinto de finais
onde é sempre meia-noite e venta?

O silêncio de todos os relógios
esperando...
puro vidro se cortando em minhas mãos.

Vazios.

Completa-me!
Faz-me atravessar!

Rochas escarpadas engelhadas em meus pés
a dançar...
E dançar e voltar.

Sê-me!

Beija minhas asas
tuas moradas
e me canta...

Teu rosto flauta doce
já tão longe
das melodias de outono que ousei sonhar.
Leila Krüger. 2012.

segunda-feira, 2 de julho de 2012

Tatuagens

Tenho tatuagens.

 Tatuagens no rosto que enxergo em espelhos e carrego comigo aonde quer que vá. Não escolhi seus desenhos - em grande parte, nem mesmo as cores ou os tamanhos. São tatuagens. No rosto. Com tintas de amor, ódio, raiva, arrependimento, loucura, entardeceres que não vão embora, luas cheias túmidas de saudade e ruas antigas que parecem suspirar por alguma coisa que nunca há. Ou que nunca houve, dir-se-á...

Tenho tatuagens. No rosto. E se vão espalhando por braços pernas dorso, deliquescentes-belas, vão-se eternas e puras como rios de matas virgens... Tenho tatuagens de borboletas de asas cortadas, como talvez jaulas que cedam com um sopro doce de vida. Que alguém soprará... Com aroma de sol.



Leila Krüger. 2012.

sexta-feira, 22 de junho de 2012

Becos


Deus!


Quantas ruas escuras e becos eu tive que vagar


                                                 em busca

de um amor que não podia ter...

                                                 em busca

de um afago que não estaria nunca em um orgasmo

               em um beijo dócil por acaso.

Quantos olhares roubados...

Quantas mãos despedaçadas em adeuses inevitáveis quantos rostos amáveis que foram

                                fumaça na madrugada.

Quanta lágrima com pedaços crus de alma...

Quantos drinques amargos, quantos cansaços

                                quantas promessas

que já surgiram quebradas

                   por trás de sorrisos encantadores.



Quantas dores...

quantas dores de parto em dias de paredes

                                        que gritavam no quarto.

Gritavam teu nome...! Que eu não conhecia...

Quantos desvarios

quantos rios eu atravessei, sem saber nadar

para de repente tocar a luz da tua essência

                                                   que me recriou.

E eu nada sei além de ti...



Leila Krüger. 2012.



 

sexta-feira, 15 de junho de 2012

 Gente, desculpem o atraso em postar o resultado do sorteio de 2 exemplares do meu livro Reencontro autografados! O sorteio foi no dia 13/06/2012!!!

 Os vencedores foram a LEILINHA (minha xará) e a QUETI!!! Parabéns a elas!!! Obs.: Entrarei em contato com as vencedoras e, caso uma ou ambas não responda, farei um novo sorteio daqui a 1 semana!!!

 Eu numerei todos os 708 seguidores e sorteei através do site Random.org. Coloco aqui os prints das telas:
 





  E você, que tal curtir minha página de autora no Facebook? Sempre coloco frases, poemas etc.!

  Curte a página de Reencontro no Facebook também!
 

quarta-feira, 6 de junho de 2012

Veleiros


Como poderia eu imaginar que um dia não haverias?

Que o mundo continuaria sem teus olhos e tua presença incomparável, e nem mesmo giraria mais lento sem teu sorriso. Sem teu rosto nos lagos ao entardecer, sem teus braços meus...

Como poderia eu imaginar que ainda haveria alegria nos palhaços, esperança nas vitrines, sonhos-balões no azul?

Como poderia eu supor, sequer supor em distração que prosseguiriam as marchas e as melodias, e o silêncio não reinaria em uma vida de neve, e haveria sol? E haveria de haver força nas gelhas da despedida, amor ainda nas esquinas e vinho novo nas oníricas madrugadas... Como poderia eu saber?

Que respiraria sem ti. Que me encontraria sem ti. Que me seria sem ti, eu veleiro que sopras e não vês partir...¨



 Leila Krüger. 2012.



  GENTE CONTINUA A PROMOÇÃO!!! AO CHEGAR A 700 SEGUIDORES VOU SORTEAR 2 LIVROS REENCONTRO AUTOGRAFADOS!!! SIGA E PARTICIPE!!!

  Bom feriado, bons ventos às suas velas!

quinta-feira, 31 de maio de 2012

O Tempo


O tempo passa e você descobre que algumas coisas valem a pena e outras não. E que existem coisas que você não poderá consertar, como se tivesse 18 anos eternamente. Você precisa deixar seu passado e isso inclui quem você foi. O mundo não parará para você voltar, mas você tem um novo mundo a inventar. E adornar o céu com cores de Dalí...





GENTE, NÃO PERCAM MEU LIVRO REENCONTRO EM PROMOÇÃO!!!
Site com primeiro capítulo AQUI!

Walmart: http://www.walmart.com.br/produto/Livros/Literatura-Nacional/Novo-Seculo/325147-Reencontro

Extra: http://www.extra.com.br/livros/LivrosdeLiteraturaNacional/LivrosdeRomance/Novos-Talent...os-da-Literatura-Brasileira-Reencontro-717850.html

Ponto Frio: http://livrosdeliteraturanacional.pontofrio.com.br/Novos-Talentos-da-Literatura-Brasileira-Reencontro-717850.html?&utm_source=buscape&utm_medium=comparadorpreco&utm_campaign=Livros_Romance

Casas Bahia: http://www.casasbahia.com.br/Novos-Talentos-da-Literatura-Brasileira-Reencontro-717850.html

quinta-feira, 24 de maio de 2012

Companhia


              Eu queria ser – e já fui – uma daquelas pessoas que amam a solidão. Que leem seus livros, que ouvem suas músicas, que deitam em suas camas macias como braços e se espraiam em suas vidas com leveza. Que assistem à TV com tranquilidade, embora possa não haver nada de muito interessante. Que comem alguma coisa, um chocolate aos poucos, um doce da padaria, que assistem a um DVD que até podem já ter visto, e é divertido como na primeira vez, que enviam mensagens SMS no celular, sem ter a necessidade de ligar, que fazem planos sem a aflição de executá-los imediatamente, e ainda que intentem fazê-lo, sem preocupação. Que saboreiam, enfim, sua solidão. Como um brigadeiro ou uma bergamota do céu, derretendo-se na boca mansa preenchida. Eu queria a proteção que sei que existe nas paredes, no travesseiro, nos quadros, nos armários, nos criados-mudos, nos colchões e nas colchas coloridas que deslizam – em algum lugar. Não aqui... Eu queria amar minha solidão, tão presente ela é. E eu não queria amar as pessoas que não estão... Eu queria que bastasse, não sei o quê. Eu queria o que não sei dizer. Eu queria era me ter antes de você...

quinta-feira, 10 de maio de 2012

Pontes



As pontes se rompem apenas com um sopro, e a vida continua. As árvores secam, os rios mudam seu curso sem querer, e a vida continua. As flores silenciam, abraços terminam, rostos caminham lentamente para lugares ond...e não se tocarão. As borboletas se cansam, a chuva cinza dança e a vida continua. Os cataventos, eles sabem os segredos... Esses medos crianças crescem, e a vida deve continuar. E ficamos velhos antes do tempo porque a vida aconteceu cedo e continuou. E os outonos respiram marrons, e a vida continua. E nossas mãos se procuram vazias na saudade de existir. Sem saber para onde a vida continua, sempre e nunca, e tardes bonitas vão amar... No meu olhar, no meu olhar.


Leila Krüger. 2012.

quarta-feira, 2 de maio de 2012

Pássaro Ferido





É tão triste deixar o que faz parte de nós.

É tão triste viver de pedaços que faltam, de momentos que faltam, de sonhos que não voltam e de fins de tarde que não entendem.

É tão triste viver de palavras que ecoam em nuvens, de olhos que habitam portas e de bocas que se perderam para sempre. E viver ausente...

É tão triste encerrar a alegria nas copas das árvores antigas, que um dia abraçaram...

É tão triste deixar, deixar, deixar o que não se vai.

É tão triste a gelidez de ir embora, e se despedir do amor como um estranho que apenas passava. E que não nos amava.

Eu sentirei falta e frio como quem busca o fogo na noite vadia. Haverá noites de gelar...

Eu serei outra. Eu serei triste, às vezes. E recolherei minhas lágrimas, ainda que não caiam, em mãos de anjos que tentarei afagar.

Eu sei, irei chorar um pouco mais...

E serei como pássaro ferido que insiste em voar.

E voarei sempre ao mesmo lugar...

Paz. E infinita saudade.


Leila Krüger. 2012.

segunda-feira, 23 de abril de 2012

Decida

  
 Hoje tomei uma decisão. Uma decisão que vinha adiando há tempos, mas que já se desenhava em meu coração com certa timidez. Se decidi errado, tudo bem, mas decidi. Descobri que um dos grandes problemas da minha vida, e talvez da vida de muitos, é não decidir. E assim o tempo vai passando. Não decidir já é decidir ficar onde está, e onde estamos pode não ser o melhor lugar para nós. 
 O coração engana, sim. Mas também acerta aquilo que a cabeça nunca conseguiria. Coloquei minha cabeça na forma do coração. Cansei de fórmulas prontas, de pessoas que sabem tudo, de caminhos certos. Não vou jogar tudo para o alto, mas vou confiar naquilo que não vejo, ou melhor, que só o coração vê.
 "Só se vê bem com o coração, o essencial é invisível aos olhos"... 
 Precisamos decidir. Tudo é possível a quem decide e tem fé!

sexta-feira, 20 de abril de 2012

Distância



Que distância é essa entre meu espelho e os olhos alheios? Entre a bondade imaginária e a gelidez evidente... Que distância é essa entre meus olhos profundos e os olhos rasos do mundo? Que distância é essa entre eu e o resto? Entre eu e o tudo? Entre eu e o vento...

E a proximidade do nada, que de repente abraça como se abraça um estranho na estrada. Somos estranhos no breu – todos e eu.

        Que distância é essa que me ama? E meu nome chama na tarde linda...

        E nunca termina...



        (Leila Krüger. 2012.)


       
       Reencontro tá quase metade do preço no Walmart, no Extra, no Ponto Frio e nas Casas Bahia!
       
        

domingo, 8 de abril de 2012

Encontre


Encontre quem acredite em você. Encontre quem te abrace ou sorria quando você disser que não pode. Encontre quem fale o que você precisa ouvir, seja bom ou ruim. Quem fale coisas ruins sem te magoar. Encontre quem nunca deixe de te falar coisas boas, e as fale inesperadamente. Encontre quem não te julgue (demais) por seu passado. Encontre quem veja em você o que quase ninguém vê: a melhor parte de você, e as partes que você gostaria de mostrar. Encontre quem te escute, mesmo sem dizer nada às vezes. Encontre quem diga alguma coisa que te conforte, quando você falar que está triste ou com medo.

Encontre quem veja beleza nas flores, no céu azul, nos pássaros cantando, no mar e em coisas simples como um olhar. Encontre quem saiba ver seus olhos, e em cujos olhos você possa descansar. Encontre quem possa perdoar, e a quem você naturalmente perdoe. Encontre quem seja diferente de você, e às vezes brigue com você, e não concorde sempre com suas ideias nem com seu mau-humor; mas que no fim te abrace. E sorria. E que, quando você sentir não ter mais nada nem ninguém, seja seu. E te leve a Deus, e te mostre um caminho. Encontre quem encontre seu coração entre os espinhos, e o guarde em um abrigo. 

Encontre quem dê fim à guerra. Encontre quem te espera. Encontre quem você chame delicadamente de amor, e que te faça esquecer que uma vez você não acreditou...

segunda-feira, 2 de abril de 2012

Resultado do sorteio de Reencontro

 Ontem saiu o resultado do sorteio do livro Reencontro + marcador na página do livro Reencontro no Facebook! Quero parabenizar a 
 ISIS ACCIOLY!!!

Resolvi fazer um sorteio extra, para agradecer a todas as pessoas que estão curtindo a página e especialmente às que participaram do sorteio, clicando em Promoções, Participar!!! Quero parabenizar o
TIAGO PEDRO!!!

 Tem a PROMOÇÃO 750 SEGUIDORES: ao chegar a 750, vou sortear 1 livro Reencontro + marcador entre quem segue o blog!

  

 Por fim, vou postar um poema que fiz:
 
 MAR (Leila Krüger)

É importante acreditar
os pássaros voltarão a pousar
nas flores lindas
- e lindas!
do teu olhar...

Flores vermelhas
esperam
mar.



 Boa semana!!!

sábado, 24 de março de 2012

Promoções livro Reencontro



"A humildade deixa as pessoas mais bonitas." (Leila Krüger)

Pessoal, dia 31 de março de 2012 vou sortear 1 livro Reencontro + marcador na página de Reencontro no Facebook. Para participar, basta curtir a página e clicar em Promoções, Participar!

Também continua a Promoção 750 seguidores, ao chegar a 750 vou sortear no blog 1 livro Reencontro + marcador. Siga! Divulgue!!!

 
 Tem promoção pra ganhar Reencontro também no blog Acordei com Vontade de Ler
 E que tal adicionar Reencontro em sua estante no Skoob? Tem várias resenhas do livro lá!


 Bom findi!

quinta-feira, 15 de março de 2012

Borboletas


Sabe aquela história de cuidar do jardim? Descobri – tardiamente – que realmente eu preciso cuidar das minhas rosas, margaridas, bromélias, árvores, horta, meu pomar e, muito importante, minha grama – que é onde ficam as raízes de tudo. Descobri que preciso regar as plantas, podar as plantas, plantar e replantar e verificar se não estão secas ou úmidas demais. Preciso esperar o sol, aguardar a chuva, viver no jardim cada tempo à espera dos brotamentos. Depois que brota, floresce grande se você cultivar...

E aí sim, cultivando as plantas que escolhi – e algumas que também não escolhi – eu espero as borboletas. Mas calma! – não precisa ser a primeira, nem a segunda. Uma borboleta que goste do jardim e que o torne mais feliz, mais colorido e até mais vivo. Que o faça suspirar, em sintonia com um ritmo alegre de ser. Uma borboleta que escolha morar ali – não por uma manhã, ou uma tarde, ou somente quando houver sol que é para pousar livremente nas flores belas. Não... uma borboleta para todos os climas e para todas as flores. Uma borboleta que seja parte do jardim, e do qual o jardim seja parte também. Uma borboleta que não se vá... e que, se por acaso um dia for, saiba voltar.

Se eu não cultivar meu jardim, talvez se achegue uma borboleta negra na chuva. Uma borboleta breve no sol. “Ah, não é muito bom mas dá pra ficar um pouco...” Borboletas negras não se importam tanto com jardins bonitos. As plantas serão secas. Haverá mato sufocante, e até as flores amáveis serão impessoais. Ou envelhecidas, ou feias pela falta de desvelo. Porque é isso – simplesmente falta de desvelo, de cuidado e de amor. Cuidar exige amor... amar exige paciência... paciência exige fé. Acredite na beleza de suas flores. Acredite no sol que virá – não importa de onde, acredite na chuva que também descerá e que depois passará. Acredite nas borboletas que acreditarão em seu jardim, e o farão lar.

Seja um lar de onde não se queira ir embora. Quem primeiro mora em seu jardim é você! As borboletas virão. Você apenas precisa ter um bom lar, onde possa você mesmo morar, e depois outros...

Mas não será um lar finalizado; será, ao contrário, uma morada cultivada todo dia, com mãos que amam. O amor torna as coisas belas. E vivas. E novas. Borboletas coloridas voam para o amor. E o amor, sem que se veja, voa às borboletas que amam...

sábado, 3 de março de 2012

PROMOÇÃO 750 SEGUIDORES: SORTEIO DO LIVRO "REENCONTRO" + MARCADOR

É com muita alegria que hoje vou postar sobre a PROMOÇÃO 750 SEGUIDORES. É simples: ao atingir 750 seguidores no blog, vou sortear 1 livro "Reencontro" autografado + marcador entre os seguidores. Siga! Divulgue! Para que o sorteio ocorra o mais rápido possível!


 Quero agradecer a duas pessoas maravilhosas que tem me ajudado na divulgação de "Reencontro" e idealizaram essa promoção comigo, a Halana e a Fernanda, com seus respectivos blogs e suas redes sociais. Muito obrigada!

 Condições para concorrer:
 - Residir no Brasil
 - Seguir o blog, tendo um contato no perfil (blog, email ou rede social)
 - Querer ler "Reencontro"!


 MAIS PROMOÇÃO DE "REENCONTRO"!
 Que tal concorrer a mais um livro "Reencontro"? Então curte a página de "Reencontro" no Facebook, clica em Promoções, Participar e dia 31 de março vou sortear 1 livro "Reencontro" autografado + marcador!!!

 Também deixo aqui minha página de autora no Facebook, onde sempre coloco poemas meus, frases, divulgação etc.


 MARCADORES DE "REENCONTRO" AUTOGRAFADOS!
 Se você me enviar foto ou imagem scanneada da nota de compra de seu livro "Reencontro" por email (tem aí ao lado), te envio um marcador autografado!



 Que tal colocar "Reencontro" em sua estante no Skoob?
 Que tal ler o primeiro capítulo no site do livro?
 Que tal dar um belo sorriso hoje e pensar que tudo vai ser diferente se você não desistir?

 Beijos!

terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

Ave Migratória



Eu preciso deixar-te ir
como as aves migratórias que se vão fortes sobre o mar.

Eu preciso deixar-te ir
como a nuvem no fim da chuva e a chuva na relva longe.

Eu preciso deixar-te ir como os olhos que se fecham
e se flecham para não dizer.

Eu preciso deixar-te ir como a única salvação do mundo.

Eu preciso deixar-te ir
pescoço boca e mãos
pés e luz
para um lugar onde te guardarei a sós.

Eu preciso deixar-te ir
eu preciso deixar-te vir
como eu deixo ir a mim.


Leila Krüger. 2012.


Este poema é em homenagem a tudo que temos que deixar ir, e que muitas vezes faz parte de nós, para que possamos continuar... Mesmo que sem saber direito pra onde, ou como, voar!



Desculpem por eu não estar visitando blogs e seguindo, ando sem tempo. Mas vou visitar todos os que me deixarem recado e seguir! 

Que tal adicionar meu livro Reencontro em sua estante no Skoob?


Curta a página de Reencontro no Facebook, clique em Promoções, Participar e concorra a exemplares.

E MAIS UMA NOVIDADE!!! VEJAM MINHA ENTREVISTA NO JORNAL "A TRIBUNA PIRACICABANA", DE PIRACICABA - SP.

Boa semana!!!

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

Moça


Pediram-me para ser forte e ter coração de águia.
Pediram-me para dizer coisas em que nem mesmo acreditava,
eu era folha no vento na estrada,
eu era vasta
e então nada.

Pediram-me para ser como os outros e todo mundo era pó.
Eu era só...

Eles disseram o que sinto,
eles jorraram seus instintos com o nome de amor,
eu era mar de pescador.

Eu era moça,
e não outra...
 
Leila Krüger. 2012.
 
 Livro Reencontro
 Que tal ler o primeiro capítulo do meu livro Reencontro? A história de Ana Luiza, uma história de amor, fé, superação, de acreditar outra vez!
 Lembrando que curtindo a página de Reencontro no Facebook, clicando em Promoções e Participar, você concorre a exemplares! O sorteio não tem data certa, vou fazer 2 sorteios de 2 livros a prinícipio, nos próximos dias.
 E que tal colocar Reencontro em sua estante no Skoob?
Pessoal, o livro tá por encomenda na Livraria Cultura e na Saraiva, mas dou dicas de alguns lugares onde podem encontrar o livro:
 Livraria Martins Fontes Paulista
 Extra
 Ponto Frio
 Site da Novo Século Editora
 
  Bom resto de semana!!!

domingo, 5 de fevereiro de 2012

Reencontro: dependência química e emocional


 Em primeiro lugar peço desculpas por estar escrevendo tão pouco e não visitando blogs. Minha vida andava um tanto atribulada!

Mas, agora, meu livro Reencontro. Um dos grandes temas do livro é a DEPENDÊNCIA química e emocional. Dependência não só de drogas e álcool, como forma de fugir dos problemas e da dor, mas dependência emocional de outras pessoas: o amor pode ser uma verdadeira droga que aprisiona o coração. Estamos falando de amor perdido, não realizado ou não compreendido. Sentimentos como frustração, raiva e solidão podem levar à dependência química de drogas, lícitas ou não, e álcool, e à dependência emocional de outras pessoas ou, paradoxalmente, ao isolamento.

Você conhece alguém nesta situação de dependência química ou emocional? Quando uma droga, o álcool ou pessoas se tornam muletas para enfrentar a realidade e fugir dos problemas.

 Mas, mais que uma história sobre dependências, Reencontro é uma história sobre amor, amizades, fé, acreditar em improváveis e até em impossíveis, e dar valor ao que realmente importa na vida, que é quem amamos de verdade. Não obsessão, amor...

Curtam a página de Reencontro no Facebook, cliquem em Promoções, Participar e concorram a exemplares autografados!
 Coloquem Reencontro em sua estante no Skoob!
 E tem uma promoção no blog It Cultura pra ganhar 1 exemplar de Reencontro, não percam!
 E mais uma promoção pra ganhar 1 exemplar no blog Alegria de Viver e Amar o que é Bom!


 Boa semana!

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012


Você sabe que tudo pode mudar de um dia para o outro. Ou de uma semana para a outra. De um mês para outro. Você sabe que Deus pode transformar espinhos em rosas, e rosas em canteiros onde se possa descansar. Não desista... tudo pode mudar! Tudo vai mudar. Quando você estiver a ponto de se destruir, perceberá que renasceu. E foi necessário se quebrar... para ser novo. Para ser melhor. Para ser feliz. "A fé pode mover montanhas". Quais são suas montanhas? Jogue-as hoje mesmo ao mar...

segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

Reencontro e Anoitecer

 Desculpem a demora para postar! Também vou visitar os blogs que me visitaram. Hoje vou postar uma divulgação do meu romance "Reencontro" e uma prosa poética que escrevi, chamada "Anoitecer".



Quero divulgar minha página de autora no Skoob, que criei dia 15 de janeiro, e a página do livro "Reencontro" no Skoob!!! Que tal adicionar o livro "Reencontro" à sua estante?
 Lembrando que tem o primeiro capítulo na seção "O Livro" do hot site de "Reencontro".

 Curtam a página de "Reencontro" no Facebook, cliquem em "Promoções" no menu à esquerda e em "Participar" e concorram a exemplares autografados!!!




E agora, uma prosa poética que escrevi.

ANOITECER

O vento tem cheiro de chuva, as nuvens se estendem como véus no azul que se despede, a noite chega. Chega a noite com leveza e crueldade. A noite para quem não quer vê-la chegar...

    Há no ar o perfume doce e viciante de um passado que ainda se vive, e outro perfume denso e exótico de um futuro que não se move. Misturam-se os aromas incompatíveis com estranheza no vento incólume, que se resume a dançar. Entre os prédios espetados no céu como estacas, entre as antenas de TV que tudo captam, entre as rodas dos carros e as pernas dos cansados que simplesmente vão, canta o vento uma sombria canção que punge. Que pune. Que encanta, antes de castigar.

    Estão todas as nossas memórias e nossas desculpas encarceradas na indolência dorida do anoitecer. Na calmaria das coisas e na beleza das coisas que se despedem com o dia. Que se insinuam com a noite, amante do vazio e do vinho.

Há de haver uma estrela boa que guarde uma paisagem verdadeira, aonde se chega com o olhar e que se toca com lágrima. Há de haver volta, quando o vento silenciar...
   
 Boa semana!!!

quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

Abstinências...


 "Sua pior abstinência seria outra. Não cocaína, álcool, maconha. Nem mesmo cigarros. Como ela curaria suas faltas? Seus furos do lado de dentro. Sulcos, murros. As pessoas de quem gostava iam embora. Morriam, ou iam para longe. Ou não a queriam. Ana Luiza não estava preparada para aquela despedida, mais uma despedida. Quando alguém ou alguma coisa passava a se tornar vital para ela, era um sinal de que não poderia mais ter." 
(REENCONTRO, Leila Krüger)


Pessoal, que tal curtir a página de REENCONTRO no Facebook e concorrer a exemplares autografados, e conhecer mais do livro e dos eventos relacionados a ele?

Que tal adicionar REENCONTRO à sua estante no Skoob?

Vejam e, se quiserem, adicionem meu perfil no Skoob.


OBS.: VOCÊ ENCONTRA REENCONTRO NA SARAIVA, NA SICILIANO, NO SITE DA NOVO SÉCULO EDITORA E NA MARTINS FONTES PAULISTA, ENTRE OUTRAS LIVRARIAS COMO A SARAIVA DO BARRA SHOPPING SUL DE PORTO ALEGRE.

Boa semana!!!