quinta-feira, 24 de maio de 2012

Companhia


              Eu queria ser – e já fui – uma daquelas pessoas que amam a solidão. Que leem seus livros, que ouvem suas músicas, que deitam em suas camas macias como braços e se espraiam em suas vidas com leveza. Que assistem à TV com tranquilidade, embora possa não haver nada de muito interessante. Que comem alguma coisa, um chocolate aos poucos, um doce da padaria, que assistem a um DVD que até podem já ter visto, e é divertido como na primeira vez, que enviam mensagens SMS no celular, sem ter a necessidade de ligar, que fazem planos sem a aflição de executá-los imediatamente, e ainda que intentem fazê-lo, sem preocupação. Que saboreiam, enfim, sua solidão. Como um brigadeiro ou uma bergamota do céu, derretendo-se na boca mansa preenchida. Eu queria a proteção que sei que existe nas paredes, no travesseiro, nos quadros, nos armários, nos criados-mudos, nos colchões e nas colchas coloridas que deslizam – em algum lugar. Não aqui... Eu queria amar minha solidão, tão presente ela é. E eu não queria amar as pessoas que não estão... Eu queria que bastasse, não sei o quê. Eu queria o que não sei dizer. Eu queria era me ter antes de você...

10 comentários:

  1. Lindo texto Leila, uma explanação mansa do que vai na alma dos poetas, a contraposição do cotidiano trivial com um vulcão sempre prestes a explodir...Adorei, tuas letras são como uma chave que podem abrir as portas do teu íntimo, parabéns pelo talento, bjussssssssssssss

    ResponderExcluir
  2. Esse texto é o retrato do meu momento atual. Aprendendo lidar com essa falta. Lindo texto.

    Eu quero te convidar a conhecer o meu novo blog: http://blog-alineteles.blogspot.com.br/ (o blog sensitivity não está mais em funcionamento).

    Beijinhos.

    ResponderExcluir
  3. Palavras muito belas Leila, você realmente é uma ótima escritora, e não é atoa que seu livro é tão bom, continue sempre assim, sempre avançando, fico no aguardo de um novo livro seu publicado, beijos My Lady.

    ResponderExcluir
  4. Nossa! Simplesmente muito profundo, o final foi surpreendente! Adorei o modo como voce escolheu as palavras e o impacto que teve, poucas palavras as vezes significam muito!

    Bjs

    www.daimaginacaoaescrita.com

    ResponderExcluir
  5. Oi Leila, tudo bem? *-* Fiz uma CONVOCAÇÃO para todas as blogueiras no meu blog, dá uma olhada e participa, por favor? *-*
    http://ogato-leitor.blogspot.com.br/2012/05/convocacao-para-todas-as-blogueiras.html

    ResponderExcluir
  6. Adorei seu texto, bem profundo *.*
    As vezes o que mais desejamos é poder dividir essa nossa solidão com alguém, mas temos que aprender a viver uma solidão solitária, as vezes faz bem :)
    Beijo

    ResponderExcluir
  7. Olá Leila, tudo bom ?
    Gostaria de saber se você faz parceria com blogs ?

    bjs
    theplugados.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. oii amei seu blog....ja estou seguindo :D

    Bjsss

    http://www.coisaslindasblog.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir