quarta-feira, 6 de junho de 2012

Veleiros


Como poderia eu imaginar que um dia não haverias?

Que o mundo continuaria sem teus olhos e tua presença incomparável, e nem mesmo giraria mais lento sem teu sorriso. Sem teu rosto nos lagos ao entardecer, sem teus braços meus...

Como poderia eu imaginar que ainda haveria alegria nos palhaços, esperança nas vitrines, sonhos-balões no azul?

Como poderia eu supor, sequer supor em distração que prosseguiriam as marchas e as melodias, e o silêncio não reinaria em uma vida de neve, e haveria sol? E haveria de haver força nas gelhas da despedida, amor ainda nas esquinas e vinho novo nas oníricas madrugadas... Como poderia eu saber?

Que respiraria sem ti. Que me encontraria sem ti. Que me seria sem ti, eu veleiro que sopras e não vês partir...¨



 Leila Krüger. 2012.



  GENTE CONTINUA A PROMOÇÃO!!! AO CHEGAR A 700 SEGUIDORES VOU SORTEAR 2 LIVROS REENCONTRO AUTOGRAFADOS!!! SIGA E PARTICIPE!!!

  Bom feriado, bons ventos às suas velas!

8 comentários:

  1. Belo texto. São as novas descobertas depois do amor.
    Estou bem interessada em ler o seu livro. Estava vendo os comentários no site Saraiva.
    Beijinhos.

    ResponderExcluir
  2. Isso é lírismo! Amo essa profundidade que você costuma colocar nas palavras, deixando os textos sem fundo, se esvaindo e levando o leitor junto. Parabéns.

    ResponderExcluir
  3. Sweetie u are so sweet! Can we follow each other? Kisses from Romania!

    FashionSpot.ro

    ResponderExcluir
  4. Boa tarde :)
    Adorei o texto *-*

    Você tem muito talento :)
    Quero ler sua obra :p

    Beijos e cuide-se
    Tenha um excelente final de semana

    RIMAS DO PRETO

    ResponderExcluir
  5. Virei fã e seguidora.
    Quero participar do sorteio dos livros.
    Será um prazer te-los entre os meus e de meu marido.


    Aproveito para convidá-la para o sorteio de meu blog.
    Abreijos

    ResponderExcluir
  6. Cheia de poesia e sentimento...bom vir aqui Leila! Sempre bom!

    ResponderExcluir
  7. LEILA,

    sou seu mais novo seguidor.

    A maior virtude e beleza de uma saudade, é poder não ser expressa como a fatalidade de um desencontro, daqueles sempre descrito com frases semeadas de rancor ou pintada com as fortes cores das tintas de um orgulho ferido.

    Uma mesmice pífia!

    É bom saber que a ausência , pode ser assim expressa por você, sem a acidez de uma boca sentido-se desprezada, ou as pesadas mãos que não alcançam mais segurar e trazer para o peito, o outro corpo que, esvai-se e se apaga tal qual a chama de uma vela que se apaga, cansada e exausta se sí mesma.

    Simples assim, e extamente igual, a beleza do seu texto que implode em palavras serenas, aquilo que poderia ser um vômito incoercível, indesejado e truculento de imagens.

    Suas imagens, ao contrário, são tão poétics que custa a acreditar que falam e exprimem uma saudade de mais um desencontro!

    Tenho blogues de humor e quem sabe você não leve para lá toda esta graça que são os seus textos.

    Espero.

    Um abração carioca e voltarei sempre!

    ResponderExcluir
  8. Uau! Seus texto transmitem tanta emoção Leila, suas palavras faz com que nos envolvemos com o texto, você mostra como é uma ótima escritora!

    Bjs

    www.daimaginacaoaescrita.com

    ResponderExcluir